Notícias
Notícias
07/11/2022
Ibovespa hoje: inflação no EUA, China e semana de balanços no Brasil
As Bolsas globais sinalizam dia de leve alta nesta segunda-feira (7), com os investidores de olho na inflação nos EUA, na flexibilização da covid zero na China e em balanços corporativos no Brasil. Juros e inflação nos EUA: Os últimos números de emprego nos EUA deixam os investidores ainda em dúvida quanto ao rumo dos juros nas próximas reuniões do Federal Reserve (Fed) e sobre a economia do país. O mercado mantém as atenções para os próximos indicadores econômicos, com destaque para o importante índice de inflação ao consumidor (CPI) de outubro, que será apresentado na quinta-feira (10). A temporada de resultados corporativos continua chamando as atenções, com Walt Disney na terça-feira,...

Real forte e investimentos na bolsa em alta
Marcio Borba - 22/08/2022

Como vem se comportando o câmbio e bolsa de valores no Brasil

Veremos neste artigo dois dos principais sinais da força e credibilidade de uma economia, que são: o câmbio e a bolsa.

Neste caso, o Brasil está dando mais uma demonstração ao mundo que preparou bem a saída da crise da pandemia agravada com a guerra da Ucrânia.

Neste primeiro semestre, o real se valorizou em 7,55% em relação ao euro, moeda continental europeia utilizada por 19 países, dentre os quais, potências econômicas como França, Alemanha, Itália e Espanha.

Adquirir uma moeda de um determinado país é um sinal de confiança em seu futuro.

Fatores como estabilidade econômica, viés macroeconômico positivo, juros reais vantajosos para o investidor, turismo, dentre outros, podem explicar a valorização do real.

No mesmo período, em relação a libra esterlina, moeda do Reino Unido, a valorização do real foi de 9,67%. Uma das moedas mais fortes do mundo, a libra também cedeu na comparação com o real.

Quanto a comparação com as moedas sul-americanas o nosso real apresentou valorização de 13,75% frente ao peso chileno e 17,43% frente ao peso argentino.

Em relação a moeda mais forte do mundo, o dólar, mercado que todos os investidores recorrem em momentos de incerteza, o que provoca sua imediata valorização, frente a qual muitas moedas estão derretendo, o real resistiu e manteve-se praticamente estável com pequena redução da ordem de 1,24% neste primeiro semestre.

Portanto, a inequívoca valorização da nossa moeda é mais um passo rumo à confirmação da importância absoluta e estratégica da economia brasileira no mundo, notadamente, na América Latina.

Outro fator de destaque da economia brasileira é o forte retorno do investidor na B3.

Oportuno explicar que a formatação da B3 surgiu em 2017 com a fusão da BM&F BOVESPA com a CETIP – Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos. Por sua vez a BM&F BOVESPA já era a fusão da Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA) e a Bolsa de Mercadoria e Futuros de São Paulo.

Assim, a B3 é a única Bolsa brasileira em operação.

Portanto, ela é o termômetro do investimento em bolsa de valores. Como sabemos, o investidor em bolsa tem um perfil diferenciado e costuma estudar o mercado antes de investir e procura se informar e se manter atualizado com as informações de mercado.

Neste aspecto é estimulante ver que em apenas 15 dias neste mês de agosto vimos entrar na B3 R$ 11 bilhões de reais em investimentos. Já vínhamos de dois meses positivos, junho e julho, com entrada de R$2,3 bilhões de reais em investimentos.

Foi como se o mercado estivesse apostando com cautela e esperando para ver melhor o cenário que se avizinhava para o segundo semestre.

Assim sendo, somando-se aos dados mostrados nos nossos dois artigos anteriores, e, agora os dados do câmbio e do mercado de ações, é inequívoco que a economia brasileira está em franca recuperação pós pandemia, e, ainda, em plena guerra da Ucrânia.

Claro que há muito a de se fazer ainda. O mundo anda complicado. A concentração bancária criminosa no Brasil, ainda trava muito nossa economia. Porém, como diria o Conselheiro Acácio, personagem de Eça de Queiroz em O Primo Basílio, conhecido também por dizer obviedades, é melhor estar no caminho certo do que estar no caminho errado.

Ao fim e ao cabo, a boa fase da economia brasileira está sendo reconhecida muito mais no exterior do que pelo olhar de alguns setores politizados aqui dentro do país. Bem, mas o que esperar de um ano de eleições presidenciais? O bom é que já já este período passa e poderemos voltar a valorizar o que é nosso, sem patrulhamento ideológico.









Outras Notícias

12/11/2022 - A inflação no Brasil e no mundo
07/11/2022 - Ibovespa hoje: inflação no EUA, China e semana de...
28/10/2022 - Prazo de linhas do Pronampe sobe para 72 meses
26/10/2022 - Gigante da indústria farmacêutica instala unidade em...
19/10/2022 - Pernambuco vai criar 613 novas vagas de trabalho com...
14/10/2022 - Brasil apresenta dados de retomada econômica ao G20
07/10/2022 - Cinco maiores bancos dominaram 81,4% do mercado de...
04/10/2022 - Um olhar sobre a economia nordestina - 2023
29/09/2022 - IGP-M volta a registrar deflação em setembro, de 0,95%
28/09/2022 - Proposta de programação do FNE para 2023 prevê um...
23/09/2022 - Preço médio da gasolina cai pela 13ª semana...
22/09/2022 - Após BC manter Selic em 13,75% ao ano, analistas só...
20/09/2022 - Recuo da inflação pode fazer juros caírem em 2023, diz...
20/09/2022 - Como a inflação afeta os preços dos produtos...
13/09/2022 - Setor de serviços em Pernambuco registra alta de 4% em...
09/09/2022 - Grande Recife registra deflação pelo segundo mês...
01/09/2022 - Alta do PIB mostra 'consolidação da retomada' apesar...
30/08/2022 - IGP-M tem queda de 0,70%, revela pesquisa da FGV
24/08/2022 - Real forte e investimentos na bolsa em alta
16/08/2022 - Monitor do PIB aponta alta de 1,1% no segundo...
 
 
Avenida Conselheiro Aguiar 2205 - sala 102 - Boa Viagem - CEP 51.111-011 - Recife/PE
e-mail: secretaria@borbaconsultoria.com.br

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player